You are here

Quais são as probabilidades de utilização do sangue de cordão umbilical?

As probabilidades de utilizar o sangue de cordão umbilical são iguais às probabilidades do seu bebé ou um familiar chegado desenvolverem uma doença que requeira um transplante hematopoiético.

Os bancos de sangue de cordão dizem aos pais que existem mais de 80 doenças onde o sangue de cordão pode ser utilizado como tratamento standard. No entanto esta afirmação pode gerar confusão. A maioria dessas 80 doenças são extremamente raras em crianças. Nos EUA a probabilidade de uma criança necessitar de um transplante de células estaminais hematopoieticas até aos 20 anos é de 0.06% (3 em 5000). Portanto a probabilidade da criança necessitar de um transplante é de 3 em 5000 neste grupo de 80 doenças.

Quando é que o sangue de cordão armazenado em bancos de família tem uma percentagem de utilização elevada?

Familiares próximos: O gráfico à esquerda mostra que a probabilidade de desenvolver uma doença hemato-oncológica e por isso necessitar de um transplante aumenta com a idade. Nos EUA 1 em cada 271 pessoas (0.046%) vão precisar de um transplante hematopoietico até aos 70 anos. Consequentemente o sangue de cordão poderá ser utilizado por um membro do núcleo familiar a partir do momento em que é recolhido e processado. Há uma maior probabilidade do sangue de cordão umbilical ser compatível com familiares mais próximos: irmãos e pais.

Doenças Hereditárias: As probabilidades de desenvolver uma doença hereditária nos EUA não são aplicáveis noutros cenários como países diferentes.

Por exemplo, alguns pais estão muito interessados no armazenamento do sangue de cordão umbilical porque têm muitos familiares com doenças autoimunes como a esclerose múltipla. Temos também um artigo numa das nossas newsletters que fala sobre a utilização de células estaminais em doenças autoimunes.

Em determinados países Asiáticos onde a Talassemia (doença hereditária) é prevalente os bancos de sangue de cordão de família estão a prestar um serviço público. As famílias podem optar por armazenar o sangue de cordão de um bebé saudável para ser utilizado num irmão mais velho que tenha Talassemia. Na Tailândia existe uma clínica de fertilidade que ajuda os pais de crianças com Talassemia a ter um novo filho para que o sangue de cordão deste novo nascimento possa dar uma esperança ao seu irmão doente.

Em Africa os bancos de sangue de cordão podem ajudar a desenvolver a saude pública ao doarem sangue de cordão para combater a anemia falciforme oferecendo ainda hipótese de utilizar sangue de cordão com uma mutação genética para combater o HIV.

Medicina Regenerativa: Pais nos EUA têm maior probabilidade de utilizar o sangue de cordão umbilical dos seus filhos numa panóplia de doenças pediátricas como Encefalopatia Isquémica- hipóxica, apraxia, ataxia, paralisia cerebral, autismo, lesões cerebrais traumáticas, AVC entre outros uma vez que há vários ensaios clínicos a decorrer nestes pais. Ninguém quer imaginar que o seu filho nasce com uma doença cerebral, mas o isso acontece a 2 em cada 1000 nascimentos com gestação completa e 2 em cada 100 nascimentos prematuros. O sangue de cordão umbilical também está a ser testado em autismo doença que afecta 1 em cada 68 crianças nos EUA.

Referências:
Please see our page about cord blood Odds of Use.
Lifetime Probability of Stem Cell Transplant in USA: Nietfeld JJ, Pasquini MC, Logan, BR, Verter, F, Horowitz MM 2008; BBMT 14(3)316–322 doi:10.1016/j.bbmt.2007.12.49
Medical publications about cord blood therapy for pediatric neurologic disorders:
Cotten M. et al. 2013; Pediatrics 164(5):973–979 doi:10.1016/j.jpeds.2013.11.036
Liao, Y, Cotten, M, Tan, S, Kurtzberg, J & MS Cairo, MS 2013; Bone Marrow Transplantation 48:890-900 doi:10.1038/bmt.2012.169
Min et al. Stem Cells 2013; 31(3):581-591 doi: 10.1002/stem.1304
Sun, J et al. Transfusion Sept. 2010; 50(9):1980-1987 doi:10.1111/j.1537-2995.2010.02720.x
Sun JM et al. 2015; Pediatric Research 2015; 78:712–716 doi:10.1038/pr.2015.161