A expressão “sangue de cordão” é utilizada para descrever o sangue que está no cordão umbilical e na placenta após o nascimento de um bebé. “Cordão umbilical” é o nome dado ao tecido do cordão em si. O Sangue de cordão, a placenta e o tecido de cordão são o exemplo de fontes ricas em células estaminais. A grande maioria das células estaminais presentes no sangue de cordão são células estaminais hematopoiéticas. A grande maioria das células estaminais no tecido de cordão e no tecido da placenta são células estaminais mesenquimais.
Leia mais »

Transplantes com células estaminais presentes no sangue de cordão podem curar até 80 doenças. A maioria destas doenças são doenças raras em crianças. Excepção feita às doenças heriditárias do sangue que são prevalentes em algumas populações, exemplos da Talassemia e da Anemia falciforme. Nos últimos anos, ensaios clínicos com sangue de cordão umbilical têm tido resultados promissores em doenças mais comuns como o caso da paralisia cerebral, o autismo entre outras.
Leia mais »

Os pais que desejem doar o sangue de cordão umbilical estão limitados ao número de hospitais que fazem recolhas para a rede pública de armazenamento. Poderá consultar uma lista dos bancos públicos no seu país. Os pais que querem armazenar o sangue de cordão e/ou tecido em contexto familiar poderão encontrar e comparar os diferentes bancos privados no seu pais. Usualmente os bancos oferecem planos de pagamentos faseados ou seguros para baixar o custo do serviço.
Leia mais »


História de Shai

Shai's Story A história de Shai começa comigo, a sua mãe (Frances Verter). Eu tinha uma carreira de sucesso como investigadora de astronomia na NASA. Em 1992, após a morte do meu pai, fiquei inspirada para me tornar mãe solteira, e chamei Shai à minha filha, em memória do meu pai. Leia mais...