You are here

O sangue de cordão umbilical pode “curar” a leucemia?

O sangue de cordão tem sido utilizado desde os anos 90 em cenarios onde os pacientes, crianças e adultos, têm leucemia. Até à data já se realizaram mais de 35 000 transplantes de sangue de cordão em todo o mundo e a maioria deles foi utilizado em leucemias e outras doenças do foro hemato-oncológico (Ballen, Verter, Kurtzberg 2015). Um estudo publicado no New England Journal of Medicine (NEJM) em Setempro de 2016 comparou a eficácia do tratamento do sangue de cordão umbilical versus medula óssea em pacientes com leucemia. Os dois grupos tiveram taxas de sobrevivência pós-transplante semelheantes, mas os pacientes tratados com sangue de cordão viveram durante mais tempo e apresentaram menores probabilidades de voltar a desenvolver a doença.

É importante afirmar aqui que uma criança que tenha leucemia ou outra doença hemato-oncológica tem de receber o sangue de cordão de um dador, e não pode usar o seu próprio sangue. Crianças e até mesmo adolescentes que desenvolvem leucemia, muito provavelmente já nasceram com uma mutação genetica que desencadeou a leucemia. Por isso não é seguro administrar o seu próprio sangue de cordão uma vez que este poderá também conter esta mutação.

Referências:
Backtracking leukemia to birth: Gale KB et al. 1997; Proc Natl Acad Sci USA. 94(25):13950-4. PMID:9391133
Backtracking leukemia to birth: Janet D. Rowley 1998; Nature Medicine 4:150-1 PMID:9461182
Ballen KK, Verter F, Kurtzberg J 2015; Bone Marrow Transplantation 50(10):1271-8. doi:10.1038/bmt.2015.124
HealthDay article describing study in Sept 2016 NEJM: Cord Blood Transplants Show Promise in Leukemia Treatment
Filippo Milano, et al. 2016; NEJM 375:944-953. DOI:10.1056/NEJMoa1602074