You are here

Are related donors better for transplants?

É preferível quando o dador é irmão do paciente do que quando o dador das células estaminais é completamente desconhecido. A comparação rigorosa depende do tipo de diagnóstico e do estado da doença em questão.

Duas métricas importantes para medir o sucesso das terapias após um transplante de células estaminais são: sobrevivência a longo prazo (do inglês long-term survival) e a percentagem de pacientes que desenvolvem doença do enxerto contra hospedeiro (do inglês graft versus host disease-GvHD). Quando o dador é um irmão existem percentagens de GvHD muito mais baixa o que permite que o paciente tenha uma vida melhor após o transplante. Adicionalmente quando o dador é um irmão o paciente poderá ser tratado mais rapidamente sem necessidade de procurar um dador não relacionado. Pacientes que recebem um transplante mais cedo têm maiores taxas de sobrevivência.


Referências:
Weisdorf, D.J. et al. Blood 2002; 99:1971-1977. doi:10.1182/blood.V99.6.1971
Bizzetto, R. et al. (EBMT) Haematologica 2011; 96(01):134-141 doi:10.3324/haematol.2010.027839